Um Curioso

6 fatos horríveis que te farão parar de roer suas unhas agora mesmo

Também conhecido como Onicofagia, o hábito de roer as unhas é mais comum do que parece. Essa prática ocorre principalmente em momentos de estresse e/ou ansiedade. Bastante comum na infância, algumas pessoas continuam na adolescência e muitas vezes até na idade adulta. Já outras, substituem o ato de roer as unhas por morder os lábios ou canetas, por exemplo.

Podem e não ter explicações científicas. E é tão comum, que atinge 29% da população mundial. Além de ser considerado nada higiênico pelos adultos, esse hábito pode provocar sérios riscos à saúde.

Selecionamos uma lista com 6 fatos horríveis que te farão parar de roer as unhas agora mesmo!

As-consequências-nefastas-de-roeres-as-unhas

Danifica a estética das mãos. Roer as unhas provoca microtraumatismos, resultando na alteração de sua anatomia e, dependendo do grau, podem começar a crescer de formas desiguais, com bordas irregulares, algumas chegam até não cobrir a carne dos dedos.

718d0-320421_f520

Podem aparecer feridas na pele ao redor, às vezes, acompanhadas de sangramentos. Fazendo com que os dedos inflamem, ficando avermelhados, mudando seu formato original. A probabilidade de ter agonia, sentir-se incomodado ao segurar objetos, por ter as unhas tão curtas, também é grande.

S%C3%ADndrome-da-unha-amarela

As lesões ocorridas favorecem o aparecimento de infecções causadas por fungos, conhecidas como onicomicose. Causando o enfraquecimento, dando uma cor amarelada e, em alguns casos, podendo levar a unha a cair permanentemente.

dentes-sensiveis

E não apenas as unhas ão prejudicadas por esse mal hábito. A boca e os dentes também. Por causa da constante fricção, produzindo um choque entre os dentes incisivos superiores e inferiores, fazendo com que se desgastem, tornando-os mais sensíveis.

80_1

Não apenas, em crianças, é muito comum o acontecimento de maloclusão, ou seja, o mau posicionamento dos dentes.

Leia mais  7 coisas que acontecem no corpo de quem come 2 ovos por dia

Sem título

Além do físico, o emocional das pessoas que roem unhas também é afetado. Elas tendem a ser pessoas inseguras, vergonhosas, ainda mais quando necessitam expor as mãos em ambientes sociais.

Além tratamentos médicos e alternativos para ajudar pessoas com “vício” em roer as unhas, como: pintar as unhas; usar unhas artificiais; manter a boca ocupada, mascando chiclete, por exemplo; exercícios de relaxamento ou esportes, assim diminui-se a tensão, consequentemente a ansiedade e o ato diminui.

E aí pessoal, já conheciam esses fatos? Comentem com a gente!

Comentários

comentarios

Siga-nos

Gostou de nosso conteúdo e quer nos conhecer melhor? Siga-nos nas redes sociais!