Um Curioso

7 descobertas que aconteceram por conta do aquecimento global

O aquecimento global é uma coisa bastante negativa para o nosso planeta. As geleiras estão derretendo e isso pode trazer diversos problemas para todas as espécies vivas. Porém, trazem também diversas informações sobre os tempos antigos. Com o derretimento dessas geleiras, alguns objetos muito antigos que estavam soterrados estão sendo expostos. A maioria desses artefatos possui um grande valor histórico. Eles podem nos ajudar a descobrir muito sobre o passado. A boa preservação deles traz grandes revelações.

Pensando um pouco sobre isso, nós da redação Fatos Desconhecidos resolvemos trazer alguns exemplos para vocês. O aquecimento global é o principal responsável por essas descobertas e foi com essa base que encontramos cada um dos itens abaixo. Se você tiver algum amigo que gosta desse tipo de matéria e gostaria de entender mais sobre o passado, compartilhe com ele desde já. Agora, sem mais delongas, confira conosco e surpreenda-se com o resultado.

1 – Um vírus gigante de 30 mil anos

Graças aos cientistas que foram capazes de regenerar flores silvestres, um vírus de 30 mil anos de idade foi descoberto. Os biólogos franceses, Jean-Michel Claverie e Chantal Abergel se perguntaram se eles conseguiriam reviver o vírus, assim como faziam com as flores. Eles não só conseguiram trazer de volta o vírus congelado, como também fizeram com que ele ainda fosse contagiante. Esse vírus só infecta amebas, ou seja, os seres humanos estão tranquilos. Ele é incrivelmente grande, quase do tamanho de uma bactéria. Infelizmente para nós, humanos, resta apenas o medo. Conforme as geleiras vão se derretendo, novos tipos de matéria orgânica vão sendo liberadas. Não há como sabermos o que poderá surgir no futuro.

Leia mais  7 técnicas de tortura mais brutais da história

2 – Musgo antigo

Há cerca de 500 anos, a região das Ilhas de Ellesmere, nas proximidades canadenses do Ártico, a terra estava coberta com algumas espécies de musgo e líquens. Com o passar do tempo, esses musgos foram completamente enterrados pelo gelo, e assim ficaram por centenas de anos. Recentemente a grossa camada de gelo derreteu e as plantas emergiram. Os cientistas que perceberam isso, questionaram o fenômeno. “Será que essas plantas podem estar vivas?”. Algumas eram marrons e pareciam de fato estar mortas. O musgo, após estudos, conseguiu se regenerar com sucesso e crescer. As plantas permaneceram vivas.

3 – Soldados e armas da Primeira Guerra Mundial

 

A Primeira Guerra Mundial contou com diversos palcos de combate. A região localizada no norte da Itália, próxima da fronteira com a Áustria, foi um deles. O local contou com batalhas entre as forças italianas e os soldados austro-húngaros, no que ficou conhecido como “a Guerra Branca”. Hoje, após o derretimento das geleiras dos Alpes, o local está revelando os mortos e as armas que foram usadas durante as batalhas. No ano de 2003, mais de 200 munições da Primeira Guerra Mundial surgiram com o derretimento do gelo. Os soldados aparentemente tinham escavado e construído um esconderijo de munições em uma geleira. Os corpos dos soldados também foram descobertos junto das munições.

4 – Artefatos da Roma antiga

A passagem de Schnidejoch é uma rota nas montanhas alpinas da Europa. O trajeto é o principal para unir dois vales dos Alpes. Ele é utilizado há séculos pelos viajantes que saem da Itália e desejam seguir para o norte. Cientistas acreditam que ancestrais europeus viajam por Schnidejoch há mais de 6 mil anos. Com isso, esses humanos provavelmente já deixaram para trás diversos objetos. Com o derretimento das geleiras da passagem, diversos artefatos foram encontrados. Os cientistas acreditam que essas relíquias correspondem aos períodos de tempo que a passagem estava liberada para que as pessoas andassem livremente. Entre as descobertas estão: um cinto feito para usar com uma túnica romana, pregos de sapatos romanos, broches de roupas e moedas.

Leia mais  Lembra-se do bebê que nasceu sem uma parte do cérebro? Veja como ele está hoje:

5 – Sapatos de couro da Idade do Bronze

A Idade do Bronze foi o período em que ocorreu o desenvolvimento do bronze, aproximadamente entre 3.300 a.C. até 600 a.C. Em 2006, uma descoberta surpreendente surgiu na superfície de terra congelada em Lendbreen, na Noruega. Um lenhador e arqueólogo se deparou com um sapato de couro bastante antigo, mas bem preservado. O objeto foi estudado por profissionais que ficaram extremamente incrédulos. O sapato era muito velho. Datava cerca de 3 mil anos. Ele é um dos sapatos mais antigos já encontrados no mundo e o mais antigo da Noruega.

6 – Um cavalo da Idade do Ferro

A geleira de Lendbreen, próximo a Lillehammer, na Noruega, já foi local de diversas descobertas arqueológicas. Os cientistas descobriram esterco de cavalo bem conservado em um local onde só é comum esterco de rena. Pesquisadores também já encontraram ferraduras de 1.000 anos de idade no local. Os cientistas continuaram as buscas em busca dos animais. Em agosto de 2013, eles encontraram o esqueleto de um cavalo antigo. O animal era pequeno e semelhante aos encontrados na Islândia. Os cientistas teorizam que ele possa ter quebrado as pernas e morrido no local.

7 – Florestas antigas

Há aproximadamente 2.000 anos, a geleira de Mendenhall se aproximou lentamente da floresta na cidade de Juneau, no estado do Alasca, Estados Unidos. À frente da geleira, veio a água do derretimento glacial, que empurrou toneladas de cascalho, que logo foi engolindo as árvores e arrancando seus galhos, mas deixando as árvores ainda de pé. Hoje em dia, conforme as geleiras derretem, as árvores estão reaparecendo. Algumas delas não possuem suas cascas, permitindo então que os cientistas estudem melhor as plantas. Uma das plantas descobertas foi datada de 2.350 anos.

Leia mais  Essa família ficou chocada depois do cão voltar para casa 10 anos depois (história incrível)

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos.

Via   Listverse     Hypescience

Comentários

comentarios

Siga-nos

Gostou de nosso conteúdo e quer nos conhecer melhor? Siga-nos nas redes sociais!