Um Curioso

7 fatos sobre a Via Láctea que vão expandir sua mente

Entre os milhares de planetas, satélites naturais e galáxias que habitam o universo a terra foi abrigada por uma em especial, a Via Láctea. Diversas explosões, nascimentos e mortes de estrelas, o espaço que conhecemos é um gigante em mutação constante. Físicos e astrônomos tem observado há centenas de anos os céus, estudando suas variáveis e o comportamento dos astros em busca de respostas e de melhor compreender seus mistérios.

Apesar do pouco conhecimento que se tem sobre o universo, os cientistas estão otimistas quanto suas descobertas e continuam a avançar em seus estudos e observações. Listamos alguns fatos sobre a Via Láctea que vão te surpreender. Confere aí!

1 – Buraco negro supermassivo

Com massa estimada em 4 milhões de vezes maior que o nosso sol, o buraco negro supermassivo pode ser um dos menores já calculado pelos astrônomos. O buraco negro gigante está localizado no centro de nossa galáxia, próximo as constelações de Sagitário e Escorpião, escondido entre uma nuvem espessa de poeira e gás.

As observações dos astrônomos concluem que, devido a sua atração, as estrelas que se aproximam do buraco negro começam a girar numa velocidade incrível. Uma das estrelas observadas tem se movido a uma velocidade de cerca de 18 milhões de km/h. Isso até que elas sejam totalmente atraídas para o seu centro e atiradas para o desconhecido.

2 – Gêiseres de partículas

Recentemente, uma curiosa atividade tem despertado a atenção dos astrônomos. Um fluxo de partículas de alta energia saindo do centro da galáxia, e que se estendeu por mais de 15 mil parsec em toda a galáxia, o que representa mais do que a metade da largura da Via Láctea. Invisíveis a olho nu e com energia estimada em um milhão de vezes maior do que a de uma supernova, as partículas estão viajando a velocidades supersônicas.

Leia mais  10 criaturas mais grotescas encontradas no lugar mais profundo do planeta

3 – Novas estrelas

Em um experimento para estudar como eram formadas novas estrelas, o Dr. Roland Diehl e a sua equipe puderam concluir que a Via Láctea dá à luz em cerca de 7 novas estrelas por ano. Quando uma estrela morre, partículas como hidrogênio e hélio são despejadas no espaço. Após centenas de milhares de anos as partículas se agrupam, podendo se tornar tão densas que adquirem sua própria força gravitacional. Assim, novas estrelas podem vir a se formar.

4 – 100 bilhões de planetas

 

 

Os cientistas do espaço acreditam que existam cerca de 100 a 200 mil milhões de planetas na Via Láctea. Com base em seus estudos, eles acreditam que há ao menos um planeta para cada estrela, ou talvez até mais a flutuar em suas órbitas. Isso devido a dificuldade em detectar os planetas, pois, ao contrário das estrelas, eles não emitem luz própria. Só sendo possível a confirmação de suas existências uma vez que eles atravessam entre o sol e a terra, formando um ponto escuro, possibilitando a sua identificação.

5 – Planetas semelhantes à Terra

Diferentes tipos de planetas orbitam o nosso pequeno espaço do universo. Gigantes de gás, anãs marrons, e planetas rochosos são alguns exemplos. E uma dúvida que continua a intrigar os astrônomos seriam quantos desses seriam semelhantes a terra. Estudos recentes revelaram que podem haver mais do que acreditam os pesquisadores.

Usando de amostras de 42.000 estrelas com sol semelhante ao nosso, eles descobriram cerca 603 exoplanetas em torno dessas estrelas. 10 destes planetas localizados em uma zona habitável. A análise dos dados permitiu ainda concluírem que poderiam haver ainda mais planetas a serem descobertos, e teoricamente, alguns poderiam manter as temperaturas adequadas para água líquida, o que seria propulsor para geração da vida.

Leia mais  11 animais extintos há menos de 20 anos

6 – Galáxia canibal

A Via Láctea está crescendo. Embora anteriormente os cientistas não pudessem afirmar exatamente como isso ocorria, pesquisas recentes sugerem que nossa galáxia talvez seja uma canibal. Consumindo outras galáxias no passado, de forma a extrair sua matéria, provavelmente ela continuará a absorver suas irmãs menores até que uma outra maior a engula.

Alguns astrônomos já afirmam que em cerca de 4,5 bilhões de anos, a galáxia de Andrômeda será completamente absorvida. Localizada a cerca de 2,54 milhões de anos-luz de distância da terra, nossa galáxia vizinha está com seus dias contados.

7 – Galáxias gêmeas

Em 2012, astrônomos descobriram uma galáxia que é semelhante a Via Láctea em tudo o que sabemos sobre ela. Incluindo duas pequenas galáxias que orbitam a sua volta, correspondentes as Nuvens de Magalhães, anãs satélites que orbitam a Via Láctea.

Chamada de NGC 1073, a galáxia é tão semelhante que os cientistas a estudam a fim de entender um pouco mais sobre a nossa própria galáxia. Uma vez que essa “visão externa” poderia facilitar a compreensão dos nossos próprios fenômenos espaciais.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Curioso perceber que apesar de tanto tempo, o universo continua a nos surpreender. Não é mesmo?

Comentários

comentarios

Siga-nos

Gostou de nosso conteúdo e quer nos conhecer melhor? Siga-nos nas redes sociais!